Frederico Garcia Lima é médico veterinário, trabalha desde 2006 com consultoria gerencial em fazendas de leite, atuando em várias propriedades, inclusive com fazenda ranqueada no top 100 do Milkpoint. Tem pós-graduação em Nutrição de Plantas e Fertilidade de Solos. Trabalhou junto com empresas de consultoria, como a Equipe Prodap (hoje Exagro) e no Educampo. Possui ainda diversos cursos na área de gestão e Educação Financeira, atuando hoje pela sua empresa, a GL Consultoria.

“Planejando talvez eu erre, mas sem planejar, talvez eu acerte”; esta frase pode parecer um pouco confusa, mas ela quer nos dizer muita coisa...

Pense comigo: planejar é um ato comum, que fazemos o tempo todo em nossas vidas. Quer um exemplo? Quando você acorda pela manhã em determinado horário para ir ao trabalho, você determina este horário de se levantar com base em tudo o que você irá fazer até sair para o trabalho. Para quem mora na fazenda, muitas vezes será o prazo de trocar de roupa, tomar café e pronto. Agora para quem mora distante do trabalho, tem que computar o tempo de chegar ao trabalho, o seu deslocamento e o trânsito. 

Viram, acabamos de fazer um planejamento! Observe, o objetivo nas duas situações é chegar ao trabalho, mas como as realidades são diferentes, é preciso se planejar diferente: para quem mora na fazenda, é só colocar o pé pra fora de casa e já está no trabalho. Para quem precisa se deslocar para o trabalho, é preciso pensar também no seu transporte, se é em veículo próprio, que precisa de manutenção, combustível entre outros, ou se vai no veículo de um terceiro, onde precisa ser mais rigoroso no horário para não ficar para trás ou atrasar seu amigo.

Então, já que somos bons para planejar nosso dia, por que não fazer um planejamento financeiro de seu negócio?

O que você precisa para isto é conhecer seu negócio, saber de seus indicadores e custo de produção e partir deste ponto, é parar um pouco e pensar no próximo ano, por exemplo. 

Pare para pensar: 

  • Quanto será o seu custo de mão de obra no próximo ano? 

  • Quantas vacas em lactação terei em média, mês a mês?

  • Como deverá ficar o valor do milho e da soja? Mais caros ou mais baratos do que o último ano?

  • Quanto está o seu custo com medicamentos e material de ordenha? Se replicar este valor para o próximo ano, quanto deve ser seu desembolso por mês com estes itens?

  • E os outros desembolsos com energia, combustível, manutenções, arrendamento, etc., se você fizer o levantamento de quanto gastou no último ano e replicar para o ano seguinte?

  • E o preço do leite, deve ficar melhor ou pior que no último ano?

  • Quantos animais e por qual valor você venderá no próximo ano?

  • Quais financiamentos terei que quitar no próximo ano?

Para todas estas perguntas, você tem a resposta. Não precisa se ter uma bola de cristal.  Basta parar, avaliar seu negócio e fazer o orçamento futuro.

Este orçamento pode (e deve) ser seu guia. Com esta previsão de receitas e despesas você terá uma clareza de seu negócio, que te possibilitará saber sua capacidade de novos investimentos e se terá que levantar mais recursos financeiros para quitar os compromissos já assumidos. Ele também te mostra onde deve trabalhar para reduzir seus custos ou talvez aumentar sua escala de produção.

Você não pode prever o futuro, mas pode cria-lo. Está em suas mãos ser o ator de seu negócio e não apenas um espectador, que observa sua renda diminuir sem saber o que fazer. 

Conhecendo seu negócio e planejando-o você pode mudar o seu futuro!